Como Criar um bom currículo

Não mintas no teu CV, apenas menciona aquilo que podes provar. Se o recrutador exigir alguma competência que não tens, diz que não sabes, mas que estás mais do que disposto a aprender.

Não coloques informações irrelevantes no teu currículo. Deves ser simples e ir direto ao ponto.

Os jovens que estão em busca do primeiro emprego podem destacar sua formação acadêmica, conhecimento em idiomas ou informática e atividades voluntárias.




Seja breve, uma ou duas páginas são suficientes para um currículo de alguém com experiência laboral média. Se és recém licenciado, uma página apenas.

Profissionais que já têm experiência podem colocar suas qualificações e os locais em que trabalharam logo no início do documento.

Colocar o cargo pretendido ou objetivo é indicado quando os profissionais enviam o currículo diretamente para empresa ou para uma vaga específica. Os interessados devem mostrar interesse pela posição e também que possuem os requisitos necessários para preenchê-la. Já quando o trabalhador faz o cadastro em um site ou centro de empregos, ele pode elencar algumas funções que já tenha atuado ou que tenham relação com sua formação.

Faz um currículo especializado, ou seja, mostra que és capaz de trabalhar em tal ramo, de tal nicho e em tal especialização. Assim terás mais chances de ser contratado.

Informar que está à disposição da empresa não é bem visto pelos recrutadores, isso vai passar a impressão de que o profissional quer qualquer coisa. Ele pode aceitar novos desafios, mas isso não quer dizer qualquer posição.

Na apresentação do currículo deve ser levado em conta a fonte do texto (preferência arial 12), evitar erros de português, tipo de papel e qualidade de impressão. O ideal é que o documento tenha no máximo duas folhas.

Outro ponto que merece ser lembrado é o e-mail. Endereços eletrônicos com apelidos e nomes no diminutivo não devem ser colocados no currículo. O e-mail para contato profissional precisa ter somente o nome do trabalhador.

“É preciso ter uma postura profissional. O candidato deve ser visto pelas suas competências”

Se acabaste de te formar, foca o teu CV na tua educação e nas tuas notas, é melhor que fiques no currículo convencional, sem muita inovação, pelo menos numa primeira fase.

Tem cuidado com o formato. Separa as linhas a partir de cada competência e qualificação através de marcadores. Facilita a leitura do teu currículo. O recrutador tem que olhar de relance e destacar o teu CV.

Use a terminologia correta, não sejas demasiado acadêmico, afinal, o teu CV normalmente passa primeiro pelos RH.

O teu currículo tem que te vender. Escreve-o utilizando palavras que exprimam ações, mas sem exagerar. Seja factual e ofereça detalhes concretos.

É importante que as tenhas referências impressas caso o recrutador ou o entrevistador as queira ver.

É importante que deixes claro as tuas intenções e ambições para o entrevistador. Eles valorizarão isso.

Se a empresa pedir o currículo num formato específico, cumpre com as exigências.

Podes também, antes de começares com o teu currículo, resumir as tuas intenções, ambições e competências através de uma pequena carta. Faz isso principalmente se a empresa o exigir.

Não há nada pior num currículo do que erros de concordância e gramaticais. Certifica-te que não tens nenhum deslize no teu CV antes de enviá-lo.

Não utilizes papéis coloridos nem recicláveis quando enviares o teu currículo. Não te esqueças também de imprimi-lo em boa qualidade.

Fonte: www.vagas-de-emprego.noradar.com

Há vagas de emprego – Envie seu currículo